BRUXISMO

VOCÊ JÁ OUVIU FALAR EM BRUXISMO?

Ao contrário do que muitos pensam, o bruxismo não é uma doença, é uma para-função caracterizada pelo contato não funcional dos dentes, que pode ocorrer de forma consciente ou inconsciente, manifestando-se pelo ranger ou apertar dos mesmos.

QUAIS AS CAUSAS?

Esta para-função está intimamente relacionada à ansiedade e stress e quem hoje em dia não trabalha demais, acumula funções, está passando por uma crise no país?

Existem ainda, estudos que indicam que o consumo de certas substâncias químicas e medicamentos como cafeína, álcool, cocaína dentre outros, podem contribuir para o seu aparecimento ou exacerbação.

Pode ser associado também aos distúrbios do sono como a insônia e o sono agitado,além de problemas nos encaixes dos dentes.

QUANDO OCORRE?

O bruxismo ocorre mais comumente à noite, é uma atividade oral caracterizada pelo ranger ou apertar dos dentes durante o sono e que geralmente, está associada com despertares curtos com duração de 3 a 15 segundos, conhecidos como micro-despertares. Pode também ocorrer durante o dia e é caracterizado por uma atividade semi-voluntária da mandíbula, de apertar os dentes enquanto o indivíduo se encontra acordado, onde geralmente não ocorre o ranger de dentes.

QUAIS OS PRINCIPAIS SINAIS E SINTOMAS?

Os sinais clínicos mais evidentes são as facetas de desgaste nos dentes e o aumento de volume no músculo masseter (podendo em casos mais graves causar fraturas e necrose dental e travamento da abertura de boca ao acordar bem como deslocamento do côndilo).

Quanto aos sintomas podemos sentir: dor muscular e/ou articular, dores de cabeça e ouvido, sensibilidade nos dentes e estalos ao abrir e fechar a boca. Geralmente o companheiro relata os ruídos durante a noite.

QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS?

As principais consequências são os desgastes dentários que em alguns casos é bem grande podendo levar à fraturas dentárias e/ou morte do nervo, tornando-se necessário o tratamento de canal. Podem ocorrer também problemas ósseos com amolecimento dos dentes e na articulação da mandíbula, causando estalos e dores no ouvido e cabeça.

É IMPORTANTE UMA INTERVENÇÃO MULTIDISCIPLINAR?

O Dentista irá diagnosticar o bruxismo, o padrão de desgaste dos dentes, relatos de dores de cabeça e músculos da mandíbula cansados ao acordar e indicará a colocação de um aparelho específico noturno que dará proteção aos dentes e alívio da dor. Mas paralelo a isso a atuação em conjunto com outros profissionais como Psicólogos, Fonoaudiólogos e Nutricionistas podem ser importantes e aumentar a eficiência e rapidez do tratamento.

BRUXISMO INFANTIL: É FISIOLÓGICO?

Antigamente era comum ouvir que o ranger dos dentes em crianças até os 6 anos por uma necessidade natural do organismo de acomodá-los e se preparar para a troca da dentição. Até esta idade a criança através dos movimentos de lateralidade pode apresentar uma abrasão das pontas dos caninos, e esta atividade muscular ativa o crescimento e desenvolvimento fisiológico das bases ósseas. Esse é o bruxismo considerado “fisiológico”. Só que esse diagnóstico de que todo bruxismo até a troca dos dentes é normal tem que ser cuidadoso, precisamos ficar atentos para o bruxismo, onde o desgaste dental é mais importante e a criança pode apresentar dores musculares, dores de cabeça ou dores na ATM. Nesse caso, este bruxismo patológico pode estar associado a diversos fatores que precisam ser investigados em conjunto com a família.

Dentre as possíveis causas podemos citar:

  • Fatores oclusais: quando existem interferências dentais que impedem que a mordida tenha um bom encaixe;

  • Fatores de ordem sistêmica: respiração bucal, deficiências nutricionais, distúrbios neurológicos (p. ex. autismo); alergias, parasitoses intestinais, distúrbios gastrointestinais;

  • Fatores emocionais: stress, agenda lotada de atividades, entre outros – fatores hereditários;

  • Hábitos alimentares inadequados: Crianças que não mastigam alimentos consistentes e não usam a sua função mastigatória podem procurar suprir esta necessidade através do ranger dos dentes.

É de fundamental importância realizar a anamnese completa da criança em ambiente tranquilo, contando com a participação dos pais para obter informações sobre a história médica geral, hábitos, queixa de dor, relacionamento familiar e social e avaliação do perfil psicológico da criança. O exame clínico minucioso, com palpação, ausculta, avaliação de tecidos moles e da língua, verificação da movimentação mandibular, análise da oclusão, bom como os exames radiográficos são importantes no diagnóstico preciso das alterações.

COMO TRATAR O BRUXISMO?

Dependendo da avaliação do Dentista o uso de um dispositivo quando dormir poderá ser uma solução. São placas confeccionadas em resina acrílica, que ajudam a preservar os dentes, evitando maior desgaste. Feito sob encomenda pelo Dentista, o aparelho é ajustado aos seus dentes, o dispositivo é uma espécie de forma dos dentes e encaixa-se sobre a arcada superior e protege do atrito com os dentes inferiores.

Nas crianças, a placa é feita de silicone. As placas geralmente são usadas à noite, mas em alguns casos há uma placa mais fina ideal para quem precisa utilizá-la durante o dia. Apesar de o dispositivo ser uma boa maneira para lidar com bruxismo, ele não representa uma cura. Meios de relaxamento que aliviam a tensão cotidiana e podem contribuir, uma vez que o ranger dos dentes pode ser decorrência de stress. Procurar alguma terapia auxiliará no aprendizado de meios eficazes de controlar situações estressantes.

Reduzir a “exposição” de um ou mais dentes para igualar sua mordida, aquelas em que os dentes não se ajustam bem, também pode ser corrigido com restaurações, coroas ou ortodontia. O ranger dos dentes apresenta etiologia ampla, onde a gravidade do dano tende a variar em cada indivíduo. Além do tratamento odontológico é necessário um acompanhamento multidisciplinar com abordagem terapêutica, a começar pela conscientização do paciente em relação aos seus hábitos.

Não há um tratamento incisivo adotado, sendo assim, a inter-relação profissional x paciente deve ser completa, juntamente com outros profissionais da área de saúde para garantir ausência da sintomatologia e do desconforto. A prática de atividades que causem relaxamento também podem ser auxiliares efetivos. Criar um ambiente calmo e propício ao sono (de preferência sem televisão), realizar uma higiene do sono e praticar alguns exercícios respiratórios podem contribuir para a melhora da qualidade do sono diminuindo a prática do bruxismo.

TRATAMENTO COM TOXINA TIPO A É VERDADE OU MITO?

A toxina botulínica, conhecida como Toxina tipo A, já é um meio seguro para o tratamento do bruxismo. A toxina botulínica ganhou fama nos tratamentos estéticos por retardar o surgimento de marcas de expressão, mas tem conquistado espaço na odontologia no tratamento do sorriso gengival e para diminuir dores que podem ser provenientes do apertamento dentário, aliviando as dores de cabeça e relaxando os músculos da face.

©2018 Todos os direitos reservados - La Vie Saúde e Estética por Melt Comunicação

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?